Sindicalize-se agora!
20 de setembro de 2018
MENU 11 3363.3310

24 de abril de 2017

Imprimir

Vídeo da CONTRASP explica os impactos da Reforma da Previdência e Trabalhista para os vigilantes

O relator da Reforma da Previdência entregou, na quarta-feira (19/04), o texto final do projeto, na comissão especial da Câmara. E apresentou mudanças de última hora, mas nenhuma novidade no campo da aposentadoria especial para os vigilantes.

Na regra geral, a idade mínima para aposentadoria será de 65 anos para homens e 62 para mulheres. E 40 anos de contribuição para aposentadoria integral que no projeto anterior era de 49 anos. E para aposentadoria proporcional serão necessários 25 anos de contribuição, com 70% do benefício. Ficam de fora dessa regra quem contribui pelo valor do salário mínimo.

Aposentadorias e pensões por morte só poderão ser acumuladas até o limite de dois salários mínimos. Quem já está no mercado de trabalho poderá pedir aposentadoria pela regra de transição, que exige um pedágio de 30% sobre o tempo que faltaria para se aposentar pelas regras atuais.

Na nova proposta o vigilante continua sem direito a aposentadoria especial, o projeto fixa idades mínimas apenas para policiais e professores que poderão se aposentar com menos idade.

A votação na comissão especial foi adiada em uma semana e está marcada para o dia 2 de maio.

#CONTRASP
#ContraAReformaDaPrevidência
#ContraAReformaTrabalhista
#NaoAoFimDaAposentadoriaEspecialDosVigilantes

Fonte: CONTRASP - http://contrasp.org.br/

Jornal SEEVISSP

Informativo Segurança Privada – Outubro 2017

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083