Sindicalize-se agora!
26 de fevereiro de 2020
MENU 11 3363.3310

19 de setembro de 2019

Imprimir

Prefeitura de São Paulo deixará mais de 1700 escolas municipais e CÉUs sem segurança a partir de outubro

Chegou ao conhecimento do SEEVISSP (SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE VIGILÂNCIA, SEGURANÇA E SIMILARES DE SÃO PAULO) que a Prefeitura de São Paulo, por meio da Coordenadoria dos Núcleos de Ação Educativa (CONAE), encerrará os contratos de prestação de serviços com todas as empresas de segurança até o dia 31 de outubro, sendo que parte dessas empresas foram comunicadas na audiência pública ocorrida em 10 de setembro e, sendo assim, a partir de 1º de outubro parte de escolas e CEUs já estarão sem seguranças.

Mais uma vez, a Prefeitura de São Paulo se mostra irresponsável neste tipo de atitude, pois a partir de 1º de novembro um total de 1700 escolas municipais e instituições como CEUs estarão sem segurança para atuar preventivamente e intimidar a ação criminosa.

Lamentavelmente, estudantes, professores e servidores municipais que trabalham em instituições de ensino estarão à mercê da insegurança na sociedade paulistana, além do patrimônio público que corre risco de dilapidação.

Durante a audiência pública, os secretários de Educação e de Segurança Urbana informaram que dentro de 3 meses todos os contratos serão encerrados.

A Prefeitura sugere que a Guarda Civil Metropolitana substitua os vigilantes, no entanto, será um grande problema para a corporação alocar cerca de 4.000 integrantes de seu efetivo para suprir essa demanda, considerando que a CGM possui cerca de 6.000 guardas.

Com um contingente insuficiente para o atendimento por parte da GCM, o SEEVISSP mais uma vez repudia a atuação da Prefeitura, pois certamente quem sofrerá é a sociedade que mais necessita da atuação do Poder Público, haja vista que parte das escolas afetadas por essa medida estão alocadas em bairros periféricos da cidade de São Paulo e mais vulneráveis ao vandalismo.

Além disso, tem uma questão social, pois a estimativa é que tal medida resultará na dispensa coletiva de aproximadamente 4.000 vigilantes que atuam nesses locais.

Esperamos que a Prefeitura de São Paulo preste conta à sociedade com medidas efetivas para garantir a segurança nas escolas municipais e CEUs, bem como pela conservação do patrimônio público.

Segue anexo a ata da reunião ocorrida dia 10/09/2019, com 4 empresas de Segurança Privada que terão os contratos encerrados a partir do dia 01/10/2019:
Obs: O nome das empresas foi preservado. 

São Paulo, 18 de setembro de 2019.

Mais informações:

Graciana Siqueira
Jornalista

 

Fonte: Assessoria de Imprensa -

Jornal SEEVISSP

INFORMATIVO DA SEGURANÇA PRIVADA – JANEIRO/2020

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083