Sindicalize-se agora!
27 de fevereiro de 2020
MENU 11 3363.3310

25 de abril de 2012

Imprimir

SP: segurança agredido em prédio da Defensoria está em estado grave

O segurança que foi agredido por um homem armado com uma faca e um martelo nesta quarta-feira no prédio da Defensoria Pública de São Paulo está internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Vergueiro. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, Walter Moreira, 44 anos, foi submetido a uma cirurgia durante a tarde. O motivo da intervenção não foi divulgado.

Moreira e seu colega, Eugênio Carlos Gonçalves, 47 anos, que trabalham como seguranças terceirizados no prédio da Defensoria, foram feridos por um homem que invadiu o edifício na manhã de hoje. Conforme Edgar Melo, dono da empresa de segurança, Moreira foi levado ao hospital pois, depois de levar uma pancada na cabeça, vomitou. Gonçalves foi medicado e liberado ainda pela manhã.

O suspeito de cometer as agressões, Ivailton de Souza Silva, 37 anos, foi indiciado pela Polícia Civil por dupla tentativa de homicídio. No ano passado, Silva passou por cinco atendimentos na Defensoria – entre abril e setembro. Após o último deles, foi encaminhado um processo para a Justiça para a regulamentação de visitas a um filho dele, o qual ele estaria impedido de ver, de acordo com o coordenador de atendimento da instituição, Luís Felipe Azevedo Fagundes. Segundo ele, o agressor disse que fez o que fez porque foi "traído" pela instituição.

O dono da empresa de segurança afirmou que o agressor pode ter confundido o uniforme de seus seguranças com o de guardas civis metropolitanos. "Ele chegou lá gritando que queria pegar os 'azuizinhos'", disse Edgar Melo.

Segundo o delegado Giuliano Sorge de Paula Silva, da 1º Central de Flagrantes, o acusado disse que só iria falar em juízo. Por não ter advogado constituído, ele poderá ter a sua defesa feita por membros da própria Defensoria Pública.

O tenente da Polícia Militar Silva Neto, que atendeu a ocorrência, disse que o invasor não parecia alterado quando foi detido. Ele alegou que invadiu o prédio e cometeu a violência porque não teve atendimento adequado no local.

Em nota, a Defensoria Pública relatou que, ao chegar, o homem foi ao setor de atendimento, onde agrediu o primeiro segurança. Logo em seguida, pessoas que estavam próximas – incluindo outros seguranças – tentaram contê-lo. A Defensoria diz que o segundo ferido foi atacado nesse momento.

 

Fonte: Portal Terra

Jornal SEEVISSP

INFORMATIVO DA SEGURANÇA PRIVADA – JANEIRO/2020

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083