Sindicalize-se agora!
24 de setembro de 2017
MENU 11 3363.3310

3 de julho de 2017

Imprimir

PF realiza operação para combater serviços de segurança privada clandestina

Segundo a Polícia Federal, a investigação constatou a participação de um “alto número” de policiais nos serviços irregulares. Ação ocorre em todos os Estados

Manaus – A Polícia Federal realiza, nesta sexta-feira (30), operação para combater serviços clandestinos de segurança privada em todos os Estados do País. A corporação informou ter constatado um “alto número de agentes públicos envolvidos com a segurança privada irregular, na sua maioria policiais ou outros agentes da segurança pública”, e destacou o “número de mortes” desses servidores.

Cerca de 500 policiais federais participam da operação Segurança Legal, que está sendo realizada durante todo o dia nos 27 Estados e “visa a encerrar definitivamente as atividades de empresas que executam segurança privada sem a devida autorização”. A meta da PF é alcançar pelo menos 10% das empresas em atividade de segurança hoje no País.

De acordo com a Federal, a contratação de serviços clandestinos de segurança privada coloca em risco a integridade física e o patrimônio dos tomadores do serviço, já que esses seguranças não são checados pela PF quanto aos seus antecedentes criminais, formação, aptidão física e psicológica.

Os equipamentos utilizados na segurança irregular podem, também, ter origem em outras atividades ilícitas, como armas e munições de origem irregular ou contrabandeadas.

No Brasil, existem mais de 2,5 mil empresas de segurança privada legalizadas. Segundo estimativa da PF, o número de empresas clandestinas que atuam no setor é quase o dobro e movimente, por ano, em torno de R$ 60 bilhões.

Além disso, os profissionais – vigilantes – devem realizar o curso de formação de vigilantes em escola autorizada pela Polícia Federal e possuir cadastro na instituição.

Agentes públicos na mira

A Polícia Federal informou ter constatado um “alto número de agentes públicos envolvidos com a segurança privada irregular, na sua maioria policiais ou outros agentes da segurança pública”. Também segundo a PF, “chamou atenção o número de mortes de servidores da segurança pública fora de serviço e que, em número considerável, estariam exercendo atividades privadas de segurança privada de forma irregular”.

A prática da atividade clandestina de segurança privada é crime e a pena é de prisão de três meses a dois anos, também para o tomador de serviço que insista na contratação irregular.

Fonte: D24am

Fonte: CONTRASP - http://contrasp.org.br/noticia/pf-realiza-operacao-para-combater-servicos-de-seguranca-privada-clandestina

Mais notícias

22 setembro 2017

TRAGÉDIA: Vigilante mata colega e se mata em agência da CEF na cidade de Grajaú.

GRAJAÚ/MA – Na cidade de Grajaú. Um vigilante atirou em outro companheiro que estava na agência da Caixa Econômica. Em seguida, o assassino se suicidou. A policia ainda tenta entender através de investigações, o que levou um vigilante da Caixa Econômica em Grajaú, atirar no seu companheiro de serviço na tarde desta segunda-feira (18) na […]
21 setembro 2017

Prestação de contas é aprovada no 1º Congresso Nacional da CONTRASP

Na manhã desta quarta-feira (20/09), às 9h, foi apresentada a prestação de contas do quadriênio 2014-2018, de acordo com as normas do Estatuto da CONTRASP. Todos os balancetes e notas ficaram a disposição, assim como os  esclarecimentos. A prestação de contas foi aprovada por unanimidade!  
19 setembro 2017

Homem é preso após tentar furtar R$ 15 mil reais de agência bancaria

Na tarde desta segunda-feira, 18, por volta das 14h40, a Polícia Militar prendeu um homem por tentativa de furto em uma agência bancaria na Avenida Brasil, Centro de Balneário Camboriú. A funcionária do banco estava no caixa, quando por um momento se distanciou e o autor que estava no caixa ao lado, identificado como F. […]
19 setembro 2017

Caixa eletrônico de agência bancária de Mogi é danificado

Sistema de segurança acionou a gerência do banco e a polícia. De acordo com a polícia, nenhum valor foi levado. Um caixa eletrônico de uma agência bancária no distrito de Brás Cubas foi danificado na tarde deste domingo (17) em Mogi das Cruzes. De acordo com a polícia, não foi levado nenhum valor e ninguém […]
+ Notícias

Jornal SEEVISSP

INFORMATIVO DA SEGURANÇA PRIVADA – JULHO/2017 – ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083