Sindicalize-se agora!
23 de novembro de 2017
MENU 11 3363.3310

4 de setembro de 2017

Imprimir

Para a justiça brasileira e o Governo, vigilante tem que morrer

Chega ao absurdo o desconhecimento da profissão do vigilante pelas autoridades. Uma profissão de risco, de coragem, de verdadeiros heróis é tratada com descaso.

Os vigilantes atuam defendendo o patrimônio e vida. Mas, para isso, o Estado não permite armamentos adequados e a reação dos profissionais é condenada. Para eles, vigilante não pode proteger a sua vida, tem mesmo é que morrer.

A exemplo do caso julgado no Rio, em que os vigilantes tiveram a sua ação condenada por reagirem a um assalto. É absurda que o saldo de uma vítima baleada seja imputada a reação dos trabalhadores que colocam sua vida em risco. Não aos bandidos, não a falta de segurança pública, a inexistência de medidas efetivas e não a um Governo que não protege a sociedade e muito menos os trabalhadores.

O que precisamos é de melhores condições de trabalho. De um armamento que iniba as ações criminosas. De um Governo que pense e atue pela segurança, e não impute suas responsabilidades aos trabalhadores que defendem a vida e o patrimônio.

Outro exemplo é o último sinistro ocorrido no Rio de Janeiro, em que a Rede Record traz um suposto especialista afirmando que armar melhor o trabalhador só traria prejuízos, dizendo ainda que o risco de armar o vigilante é muito maior para a população.

“O risco da sociedade não se faz presente com trabalhadores treinados e bem armados. O verdadeiro risco se faz presente com bandidos e criminosos extremamente armados, matando trabalhadores e a população”, afirma Celso Adriano Gomes da Rocha, Diretor da CONTRASP e Presidente da FITV e do SEESVIG/MS.

É revoltante perceber que para as grandes mídias, para o Governo e alguns especialistas, o vigilante tem o dever de proteger, mas não o direito de se defender. Enquanto a sociedade, o Governo e a segurança pública não tiverem a consciência do heroísmo e risco diário dos nossos trabalhadores, a justiça e a sociedade continuarão, por ignorância, imputando a nós a responsabilidade de sinistros como estes.

A CONTRASP cobrará dos governantes a mudança de nosso armamento e repudia o comentário do especialista de segurança sobre o assalto.

 

Fonte: CONTRASP - http://contrasp.org.br/noticia/para-a-justica-brasileira-e-o-governo-vigilante-tem-que-morrer

Mais notícias

23 novembro 2017

SP: Tentativa de assalto a carro-forte termina com caminhoneiro morto na Tamoios

Criminosos tentaram roubar um carro-forte no km 9 da rodovia em São José. Houve troca de tiros entre suspeitos e os seguranças do veículo. Caminhoneiro passava pelo local e foi atingido. Um caminhoneiro foi morto durante uma troca de tiros entre criminosos e seguranças de um carro- forte em uma tentativa de assalto na noite […]
23 novembro 2017

SP: Criminosos armados com fuzis roubam banco em Piracaia e são presos

Seis homens invadiram a agência e estouraram caixas eletrônicos. Na fuga houve troca de tiros com a polícia. Uma quadrilha foi presa nesta quarta-feira (22) depois de assaltar um banco em Piracaia (SP). Eles estavam armados com fuzis. Ninguém ficou ferido na ação. De acordo com a polícia, a ação foi à tarde, quando seis […]
22 novembro 2017

Nota de Esclarecimento à sociedade e à Imprensa

São Paulo, 22 de Novembro de 2017   Nota de Esclarecimento à Sociedade O SEEVISSP (Sindicato dos Seguranças e Vigilantes de São Paulo), vem por meio desta nota esclarecer que diferentemente do que está sendo divulgado por órgãos de imprensa acerca do  espancamento sofrido pelo ator negro, após supostamente “seguranças da SP TRANS de terminal […]
22 novembro 2017

Trio rouba quase R$ 100 mil de casa lotérica no Norte do Piauí

Assaltantes abandonaram motos em estrada rural durante a fuga após o roubo. A casa lotérica da cidade de Cocal, Norte do Piauí, foi assaltada nesta terça-feira (21), por três homens. A Polícia Militar foi acionada, mas os homens conseguiram fugir por estradas rurais da cidade abandonando duas motos utilizadas no roubo. De acordo com a […]
+ Notícias

Jornal SEEVISSP

Informativo Segurança Privada – Outubro 2017

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083