Sindicalize-se agora!
17 de janeiro de 2019
MENU 11 3363.3310

17 de novembro de 2016

Imprimir

‘Mandava me matar’, diz vigia agredido em roubo na Infraestrutura de Ribeirão

Oito homens armados invadiram secretaria e exigiram chaves de viaturas. Secretário nega falha, mas diz que é preciso contratar segurança armada

*Interior de São Paulo

Um dos seguranças que foi agredido durante o assalto à sede da Secretaria de Infraestrutura de Ribeirão Preto (SP) conta que os suspeitos agiram com violência e que não teve tempo de se defender, ao ser rendido pelo grupo armado.

A Polícia Civil investiga o caso, mas nenhum integrante da quadrilha foi preso ou identificado até esta quarta-feira (16). A Prefeitura informou que a Guarda Civil Municipal (GCM) está realizando a segurança da repartição pública.

“Nunca aconteceu uma coisas dessas comigo antes, em 24 anos de trabalho. Ddois caras me atacaram de uma vez. Dois me bateram e outro mandava para pegar uma pedra e me matar. Ele estava fora do ataque e falava: pega uma pedra e mata ele”, relembra Baltazar Miranda.
O servidor se recupera dos ferimentos na cabeça e no olho direito, e está afastado do trabalho. Miranda afirma que outros dois vigias também foram agredidos pelos homens, que exigiam as chaves das viaturas e a abertura dos escritórios.

“Deram uma gravata, me derrubaram no chão, me deram socos e pontapés no rosto e na cabeça. Já tinham dominado o vigia da guarita e estavam batendo em outro na parte de baixo, no refeitório. E também já tinham amarrado outro [funcionário] com fios”, afirma.
Segundo registro da Polícia Civil, oito homens armados com facas e revólver invadiram o prédio da Infraestrutura, no Jardim Paulistano, na madrugada de terça-feira (8). O grupo pulou a cerca de arame, que é eletrizada.
Após agredir os vigilantes, que não trabalham armados, os suspeitos fugiram levando documentos pessoais e celulares dos servidores, além de R$ 83 em dinheiro.

Segurança insuficiente
Apesar de negar uma suposta falha no sistema de segurança – a secretaria não possui câmeras, por exemplo –, o secretário de Infraestrutura, Osvaldo Braga, reconhece que é preciso contratar agentes armados para permanecer na sede da pasta, na Rua Patrocínio.

“O que realmente existe é a necessidade de se fazer um concurso ou terceirizar o serviço de vigilância armada porque, por ser um local muito grande, um local ermo, teria realmente a necessidade de vigilância armada, principalmente no período noturno”, afirma.
Braga se diz surpreso com a violência da ação, destacando que qualquer medida adotada teria sido insuficiente para evitar o assalto, tendo em vista o número de suspeitos. O secretário a GCM assumiu a segurança do prédio pelos próximos dias.

“Não foram um, dois, ou três assaltantes. Foram dez ou 11 pessoas. É difícil saber do que esse pessoal estava atrás realmente. O que nos causa surpresa é que a maioria estava armada. Por mais segurança que você tenha, impedir dez ou 11 pessoas armadas é difícil”, completa.

Fonte: matéria publicada no site G1 - 17-11-2016 - http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2016/11/mandava-me-matar-diz-vigia-agredido-em-roubo-na-infraestrutura-de-ribeirao.html

Mais notícias

16 janeiro 2019

Bom dia CONTRASP

Edição 501 de 2 de janeiro de 2019. Acesse o link e confira as edições do boletim eletrônico da CONTRASP. Bom Dia CONTRASP
14 janeiro 2019

Governo estuda desoneração ‘universal’ da folha de pagamento

“A desoneração da folha de salários aconteceu muito em cima de demandas específicas, pontuais, de negociações muito setoriais. O que estamos trabalhando é na desoneração da folha de maneira universal, ampla, geral e sistêmica. O impacto que terá na economia certamente será muito maior e positivo”, disse Cintra ao chegar ao Tribunal de Contas da […]
11 janeiro 2019

Sem Justiça do Trabalho haveria caos administrativo e jurisprudencial

Sem detalhar a proposta, o presidente e parte de seus apoiadores apresentam uma série de argumentos a favor da medida: o ramo trabalhista do Poder Judiciário seria lento e causaria insegurança jurídica por conta das diversas posições que há em seu interior. Ainda segundo Bolsonaro, a Justiça do Trabalho seria uma exclusividade do Brasil. Além […]
9 janeiro 2019

Visitantes do Cristo Redentor são alertados por vigilantes sobre perigo de assaltos em trilha

Sete turistas argentinas chegaram animadas ao Parque Lage. Com mochilas, tênis adequados e garrafas d’água, elas haviam se preparado para fazer uma trilha até o Cristo Redentor, seguindo uma dica de amigos portenhos que vieram ao Rio no ano passado. Mas, no local, foram aconselhadas a desistir do programa. Um vigilante patrimonial do Parque Nacional […]
+ Notícias

Jornal SEEVISSP

Informativo da Segurança Privada – Janeiro/2019

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083