Sindicalize-se agora!
21 de outubro de 2019
MENU 11 3363.3310

7 de agosto de 2015

Imprimir

Empresa de segurança rompe contrato com Santa Casa de SP

A empresa de segurança Grupo GR, que presta serviços à Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, anunciou nesta quinta-feira (6) que irá romper o contrato e iniciar o processo de demissão de 500 funcionários que trabalham na instituição.

O grupo alega que o encerramento é devido a uma dívida de R$ 10 milhões da Santa Casa, proveniente de folhas de pagamento que não foram quitadas.

A assessoria da Santa Casa confirmou que o contrato se encerra a partir desta sexta-feira (7) e que uma nova empresa assumirá a partir das 6h do dia 8 de agosto.

A Santa Casa informou, ainda, que a GR se comprometeu a manter a equipe de segurança atual em seus postos até este horário.

“O valor do contrato firmado com a GR na gestão anterior é incompatível com o que a Santa Casa podia e pode, hoje, pagar”, afirmou a instituição em nota. “A dívida foi negociada e um acordo de parcelamento feito ainda na gestão anterior. As parcelas estão sendo pagas em dia. A atual gestão assumiu algumas dívidas anteriores com fornecedores e trabalha em um plano de negócios para fechar suas contas no azul”.

A instituição enfrenta, desde 2014, a maior crise financeira de sua história, com um rombo R$ 773 milhões nas contas.

Crise financeira
Em setembro do ano passado, o hospital informou que devia R$ 433,5 milhões. Uma auditoria independente, porém, verificou que a crise financeira era 78% maior que a avaliação inicial

A auditoria foi encomendada pela Secretaria Estadual da Saúde e aponta má gestão da Santa Casa. Dentre as irregularidades, o relatório indica a compra de materiais superfaturados, pagamento de super salários e fraudes em contratações de serviços.

Há situação irregular até na lavanderia. O preço contratado foi de menos de R$ 2 o quilo de roupa lavada, mas o valor praticado é de R$ 3. A instituição perde R$2,6 milhões por ano somente nesse contrato.

A maior dívida é com a folha de pagamento dos funcionários, estimada em R$ 114 milhões. O provedor da Santa Casa, José Luiz Egydio Setúbal, assumiu em 9 de junho de 2015, depois que seu antecessor renunciou ao cargo em abril.

No início da gestão, o tesoureiro Eduardo de Almeida Carneiro, afirmou que a nova gestão pretendia cortar cerca de 12% do quadro de funcionários. O corte representaria a demissão de mais de mil funcionários de um total de 8 mil. “Cerca de mil pessoas equivalem a um corte de gastos de R$ 4 milhões mensais na folha de pagamento”, disse.

Fonte: G1 – 07-08-2015
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/08/empresa-de-seguranca-rompe-contrato-com-santa-casa-de-sp.html

Mais notícias

21 outubro 2019

Bom dia CONTRASP

Edição 501 de 2 de janeiro de 2019. Acesse o link e confira as edições do boletim eletrônico da CONTRASP. Bom Dia CONTRASP
27 agosto 2019

Ação Coletiva: Mais um acordo é firmado pelo SEEVISSP

Informamos que os vigilantes que laboraram na IF3 Soluções em Segurança LTDA, em que foram constadas irregularidades, terão direito a receber uma indenização, proveniente de uma Ação Coletiva de Trabalho promovida pelo SEEVISSP em favor dos trabalhadores, pelo fato da empresa descumprir cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), ao não fornecimento de assistência médica […]
29 julho 2019

13º de aposentados do INSS deve sair no mês que vem

O decreto que antecipa para agosto o pagamento da primeira parcela do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS já está pronto para ser assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), que aguarda conclusão de estudo sobre a disponibilidade orçamentária para autorizar os créditos. A segunda parcela do bônus está programada para ser paga em […]
27 junho 2019

Dieese analisa relatório sobre PEC 06 e publica Nota Técnica

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos faz análise detalhada do relatório apresentado pelo deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) sobre a PEC 06/2019, editada por Jair Bolsonaro. Para Clemente Ganz Lucio, diretor-técnico do Dieese, houve avanços, mas é preciso estar atento. “Governo e ministro Guedes já sinalizaram que não vão aceitar as mudanças. E podem […]
+ Notícias

Jornal SEEVISSP

INFORMATIVO DA SEGURANÇA PRIVADA – OUTUBRO/2019

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083