Sindicalize-se agora!
13 de dezembro de 2017
MENU 11 3363.3310

16 de maio de 2017

Imprimir

Contra as Propostas de Reformas: Marcha para Brasília acontece no dia 24 de Maio

As centrais sindicais Força Sindical, CTB, CUT, UGT, Nova Central, Intersindical, CGTB e CSP-Conlutas realizarão, no dia 24, uma Marcha a Brasília em protesto contra as propostas de reformas trabalhista e previdenciária, que estão em tramitação no Congresso Nacional. “Unidos, vamos lutar para manter os direitos dos trabalhadores”, declarou Paulo Pereira da Silva, Paulinho, presidente da Força Sindical.

As centrais estão se reunindo semanalmente para planejar a mobilização dos trabalhadores. Os dirigentes sindicais, após a definição do dia 24 de maio como a data da grande Marcha das Centrais a Brasília, discutiram a mobilização e a infraestrutura que será construída pelas centrais. A Marcha ocupará Brasília na semana da votação da PEC 287 (Previdência) pelo plenário da Câmara dos Deputados. “Queremos uma Previdência justa e sem privilégios”, diz Paulinho.

No dia 11, Paulinho fez um discurso no plenário do Senado, na Sessão Temática realizada para debater a reforma trabalhista. Ele disse que “o Senado precisa fazer reparos no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 38/2017, a chamada reforma trabalhista, para corrigir equívocos impressionantes contidos na proposta.

Para Paulinho, entre os equívocos está a onda contra o movimento sindical, que enfraquece somente os sindicatos de trabalhadores ao permitir a criação de comissões no interior das empresas, nas quais os empresários poderão dar opiniões quanto à sua composição no intuito de fazer a livre negociação dos salários. Os sindicatos dos patrões não terão mudanças.

“Não posso dizer que não teve debate na Câmara. O relator ouviu, mas não atendeu às nossas reivindicações. Espero que o Senado faça os reparos necessários”, destacou o presidente da Força Sindical. Para Paulinho, o Senado precisa corrigir, senão vai destruir a organização dos trabalhadores, o que nem a ditadura conseguiu.

Paulinho lembrou, ainda, que todos falam que os sindicatos não servem para nada, mas eles negociam e aumentam os salários de sindicalizados ou não todos os anos. “Garantimos o mercado interno para fazer a economia girar”, disse.

Outros pontos citados pelo presidente da Força foram a contratação de PJs (Pessoa Jurídicas), o que reduzirá a formalização (contratação em carteira) e a arrecadação do governo; a jornada intermitente, que impõe pagamento de multa se o trabalhador não conseguir comparecer ao trabalho quando convocado; o pagamento de indenizações em espécie dentro das empresas; a possibilidade de acordo, com saque de uma parte dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que vai minar o dinheiro do Fundo.

Fonte: Força Sindical - http://www.fsindicalsp.org.br/novo/index.php?option=com_content&view=article&id=5306:contra-as-propostas-de-reformas-marcha-para-brasilia-acontece-no-dia-24-de-maio&catid=2:noticia&Itemid=2

Mais notícias

13 dezembro 2017

SC: Criminosos trocam tiros com vigilante de banco durante tentativa de roubo em Florianópolis

Ninguém ficou ferido, segundo a Polícia Militar. Criminosos trocaram tiros com o vigilante de uma agência bancária do Bradesco na Avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis, durante uma tentativa de assalto na tarde desta terça-feira (12), segundo a Polícia Militar. Ninguém ficou ferido. De acordo com o Copom (Central de Operações Policiais Militares), o crime ocorreu […]
13 dezembro 2017

SP: Tarumã tem dois assaltos com criminosos armados no mesmo dia

Em um deles, câmeras de segurança flagraram ladrão atacando um homem dentro de uma agência bancária para levar R$ 54 mil. Três horas depois, um adolescente assaltou uma lotérica. Dois assaltos em menos de três horas, com criminosos armados, assustaram os moradores de Tarumã nesta segunda-feira (11). Um deles foi praticado por um homem, numa […]
12 dezembro 2017

Semana violenta: companheiros na mira da morte em todo o Brasil

Diariamente, vigilantes são mortos, baleados e reféns em ações violentas. A CONTRASP convoca os vigilantes a se unirem na luta pela troca de armamento e extensão do porte de arma em defesa da vida na segurança privada Os vigilantes do país enfrentam criminosos munidos com armamentos de guerra, portando apenas a honra e a coragem. […]
11 dezembro 2017

Sindfort-PE denuncia na Polícia Federal a clandestinidade na escolta armada

O Sindfort-PE está enfrentando uma guerra contra as empresas de transporte de cargas que utilizam a escolta clandestina e, neste momento, pede apoio nacional de todos contra a ilegalidade que virou uma verdadeira catástrofe em Pernambuco. O Sindicato reuniu documentos e denunciou na Polícia Federal a execução irregular do serviço, denunciando inclusive com nome e […]
+ Notícias

Jornal SEEVISSP

Informativo Segurança Privada – Outubro 2017

Edição
Download Todas edições
Sede
LARGO DO AROUCHE, 307
SÃO PAULO/SP CEP 01219-011
11 3363.3310
Subsede
RUA ANDRÉ LEÃO, 64 - BAIRRO SOCORRO
SÃO PAULO/SP - CEP 04762-030
11 5696.6083